wigs for women wigs for women wigs for women wigs for women wigs for women wigs for women wigs for women wigs for women wigs for women wigs for women wigs for women paula young wigs wigs wig shampoo short hair wigs wigs wigs
Instituto Mosap participa de audiência na Casa Civil

Instituto Mosap participa de audiência na Casa Civil

A Diretoria do Instituto Mosap, foi recebida na tarde de quarta-feira (23/11), no Palácio do Planalto, em Brasília, pela assessoria do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, representado pelos assessores especiais, Renato Vieira e Leonardo Rangel. O objetivo da audiência teve como principal tema a PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 555/06, que busca o fim da cobrança de contribuição previdenciária dos servidores públicos aposentados e pensionistas.

As reinvindicações, em face da extinção da contribuição dos inativos e da paridade, demonstram o esforço em alertar o Governo o eminente prejuízo à categoria, que desde a EC 41/03, sofrem com a injusta taxação de suas aposentadorias e pensões e quebra de paridade. Os dirigentes solicitaram que a Casa Civil intervenha junto ao presidente Michel Temer para que seja extinta a contribuição dos aposentados, buscando base parlamentar para a aprovação da PEC 555, que está pronta para inclusão na pauta, na Câmara dos Deputados, Ou, se for o caso, a inclusão dos objetivos da proposta na redação final do projeto de reforma da previdência.

Na oportunidade, o diretor-adjunto de Assuntos Parlamentares do Mosap, Castelo Bessa, entregou aos assessores da Casa Civil uma cópia da nota técnica nº 29, elaborada pelo Sindifisco, com informações relevantes da PEC 555/06 – que acaba gradualmente com a contribuição previdenciária dos servidores aposentados e dos pensionistas, Misma  Rosa Suhett, vice presidente do Instituto Mosap e vice presidente de aposentadorias e pensões da ANFIP, entregou a publicação, Análise da Seguridade Social, editada em setembro de 2016, pela Fundação Anfip . O presidente do Instituto, Edison Haubert, relembrou e enfatizou, que a extinção da contribuição se dará de forma gradativa e não trará impacto significativo. No encontro, aproveitou para entregar documentos históricos produzidos pelo Instituto Mosap.

“Já se passaram 10 anos desde a aprovação na Comissão Especial da Câmara dos Deputados e continuamos lutando pelo fim da taxação. Sempre por oposição do Governo, nunca conseguimos votar a PEC  nem ao menos leva-la ao plenário. Já fomos muito prejudicados e a reforma pode nos trazer ainda mais prejuízo, tendo em vista que, os aposentados e pensionistas já contribuíram com uma cota extraordinária de sacrifício, pelo fato de termos contribuído desde 2004 até agora para o Tesouro Nacional, já que o dinheiro não vai para a Previdência”, ponderou Haubert.

No encontro, a Diretoria aproveitou para entregar cópias de dois artigos, publicados pelo Presidente Michel Temer (à época no mandato de deputado federal) em que ele apoia a extinção da contribuição dos aposentados. Nas matérias, o então presidente, afirmava que “o direito existe para que os indivíduos, no pacto social que constituíram, saibam quais são as regras do jogo em todas as relações pessoais – civis, comerciais, tributárias, familiares. Os institutos já mencionados visam a impedir que os componentes do pacto (o povo) sejam surpreendidos por modificações das regras do jogo, depois que certos direitos já foram consolidados. Tratando se de ato jurídico perfeito, ele é imodificável por lei ou por emenda constitucional, já que faz parte dos direitos individuais catalogados em cláusula pétrea, nos termos do artigo 60, parágrafo 4º, da Constituição Federal”.

O assessor especial da Casa Civil, Renato Vieira, garantiu aos representantes do Mosap que irá levar todos os pontos apresentados na reunião ao ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e ao Presidente, Michel Temer e se comprometeu a identificar um canal de diálogo entre as entidades que representam os milhares de trabalhadores previdenciários e aposentados com o governo. Segundo o assessor, é preciso ouvir esses grupos de trabalhadores, uma vez que “o presidente entende que temos que preservar os direitos adquiridos, pois esses não podem ser prejudicados”, afirmou.

Estiveram na audiência o presidente do Instituto Mosap, Edison Guilherme Haubert (SINDILEGIS), a 2ª vice-presidente, Misma Rosa Suhett (ANFIP), o diretor de administração, João Bosco Siqueira da Silva (ASFAGRO/ANFFA), o diretor de finanças, Antônio Mendes Patriota (APAMPESP), o diretor de assuntos parlamentares, Eduardo Artur Neves Moreira (UNAFISCO), o diretor de assuntos parlamentares adjunto, José Castelo Branco Bessa Filho (SINDIFISCO NACIONAL), o membro do conselho fiscal, Hugo Carvalho Moreira (SINAIT) e o membro do conselho consultivo, Paulo César Régis de Souza (ANASPS). Na referida audiência, todos os presentes puderam expressar o seu ponto de vista, em relação as matérias ali debatidas.

Confira na íntegra a nota técnica nº 29, elaborada pelo Sindifisco Nacional e disponibilizada pelo diretor de assuntos parlamentares adjunto, José Castelo Branco Bessa Filho.

http://www.sindifisconacional.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=26327:nota-tecnica-n-29&catid=76&Itemid=172